A areia movediça é, geralmente, bastante rasa. Ela ocorre em lugares em que a condição ideal aconteça pois não passa de areia comum super saturada de água. Com isso, a fricção entre as partículas diminui e forma-se uma mistura de areia e água que não consegue suportar qualquer peso.

Se você pisar na areia movediça, ela não vai te sugar. Mas se você fizer movimentos bruscos, isso vai fazer com que você afunde nela.     

 

A areia movediça é um fenômeno natural em que um solo fica super saturado de água. Ela tem esse nome pois se refere à forma com que ela se move nesse estado semi-líquido que se encontra.

A areia movediça não se forma com um tipo específico de solo; não se forma apenas na areia, mas em qualquer solo granulado. Ela não passa de uma "sopa de areia e água" -- na verdade, não deixa de ser areia flutuando na água. Ela pode ocorrer em qualquer lugar que tenha as condições certas para isso, segundo Denise Dumouchelle, geologista do United States Geological Survey (USGS).

Existem duas maneiras com que a areia movediça se forma: 

* Com água que está no subsolo - a força da água que se movimenta para a superfície se opõe à força da gravidade fazendo com que os grãos sofram mais a força de empuxo.

* Em terremotos - a força do tremor do solo pode aumentar a pressão de águas submersas rasas que se mistura com a areia, diminuindo a força da superfície, fazendo com que prédios e outros objetos na superfície afundem ou caiam. 

A água reduz a fricção entre as partículas, fazendo com que a areia se comporte como um líquido. Para entender isso, é necessário entender o processo de liquefação. Quando o solo se liquefaz, como no caso da areia movediça. ele perde a sua força e passa a atuar como um líquido viscoso e não mais como um sólido. É a liquefação que faz com que prédios afundem durante os terremotos.  


Você pode encontrar areia movediça em:

* Beiras de Rios
* Praia
* Beiras dos Lagos
* Mangues

Quando você for à praia, preste atenção na diferença entre pisar na areia seca e na areia bem úmida. Teste a areia com vários graus de umidade. Se você ficar parado na parte mais seca da praia, a areia te sustenta direitinho. A fricção entre as partículas de areia cria uma superfície estável para que você fique de pé.

Se você for para perto da água, vai notar que a areia que está mais ou menos úmida é ainda mais compacta que a areia seca. Uma quantidade moderada de água aumenta a fricção entre as partículas de areia. É por isso que a gente consegue construir castelos de areia.

Mas essa areia pode se tornar movediça se tiver água o suficiente para isso. Se tiver um excesso de água fluindo através da areia, a água faz com que as partículas de areia se separem umas das outras. Essa separação das partículas faz com que o solo fique mais solto e qualquer massa colocada sobre essa areia, vai afundar.   

Não se preocupe... se você um dia cair num poço de areia movediça, fique calmo. A densidade do corpo humano é menor que da areia movediça e você pode flutuar nela. Não entre em pânico! Não fique se debatendo porque, assim, você afunda. Faça movimentos lentos em direção à superfície para tentar boiar; depois, é só "remar" até sair do poço. 

Quando você tenta levantar sua perna, vai estar fazendo uma força contra o vácuo formado contra o movimento. Os movimentos devem ser lentos para reduzir o efeito da viscosidade. Tente, também, abrir os braços e as pernas e deitar de costas, boiando, para aumentar sua superfície. 

Na vida real, dificilmente você vai encontrar areia movediça em quantidade que ofereça perigo... mas se encontrar, já sabe o que fazer: fique calmo, bóie, use os braços para remar lentamente até a beirada e saia sem fazer movimentos bruscos.

 

Este texto foi traduzido, com permissão, do site, em inglês, How Stuff Works que está cheio de curiosidades de ciências e muitas outras coisas. 

 

Faça a experiência Massa Maluca que está aqui no nosso site. Lá você vai aprender que a areia movediça é um fluido não-Newtoniano. Parece difícil? Mas não é!

 

Voltar para Curiosidades:

Voltar para a página Inicial:

Página atualizada em 24 de abril de 2005. Reprodução permitida apenas com autorização da autora do site e para fins não lucrativos ou educacionais. Todos os direitos reservados para "Ciência para Crianças". 

 

Clique aqui para requisitar permissão para utilização dos conteúdos de "Ciência para Crianças".